27 outubro, 2010

Quanto tempo o tempo tem !



   "Time is too slow for those who wait

   Very fast for those who fear

   Too long for those who lament

   Too short for those who celebrate

   But for those who love, time is eternity."



Sempre ouvi aquela espécie parva de trava línguas, que dizia que o tempo tinha perguntado ao tempo, quanto tempo o tempo tinha, e o tempo tinha respondido que o tempo tinha tanto tempo quanto tempo o tempo tinha, nunca pensei muito assério nisto, na verdade sempre disse que quem inventou destas coisas não devia ter mais nada para fazer na vida. Vistas bem as coisas isto até deve ter  algum sentido, ao fim ao cabo somos todos comandas pelo tempo mesmo sem saber o que ele é na verdade e o que é que tem a mais que as outras coisas todas à face da terra, para ser ele a comandar-nos todos os dias da nossa vida. Sim, porque ele é que nos comanda, tudo o que fazemos é comandado em função do tempo, desde a hora a que temos que acordar, o tempo que temos para nos despachar, as horas a que temos de estar aqui ou ali, quanto tempo podemos lá ficar, as horas a que dá o nosso programa favorito, as horas a que podemos ligar aquela pessoa porque sabemos que naquele momento não vai desligar por estar ocupada com outras coisas que tem de fazer que terão de ser entregues dentro daquele TEMPO ... Oh meu deus, tanto tempo que temos e tão pouco tempo para nós , quanto mais tempo temos menos o sabemos gerir, como é que é possível? Ninguém dá o mesmo valor ao tempo, ninguém vê o tempo da mesma maneira, todos dizem : tu tens mais tempo que eu, ou eu tenho menos tempo que tu (na verdade vai dar ao mesmo), como? impossível o tempo é igual para todos, os segundos, os minutos, as horas, os dias, as semanas, os meses ...até os anos, passam de igual maneira para todos..incrível não é? Uma coisa tão óbvia e tão pequena mas tão grande em simultâneo faz tanta confusão a tanta gente. O Tempo, este tempo, pode ser tão bom e tão mau , melhor para uns e pior para outros, mas bom bom só é mesmo para aqueles que lhe dão o devido valor e não o deixam passar sem se darem por ele. Fantástico como pode ser tão diferente a sensação do tempo tendo em conta a situação em que nos encontramos, se esperamos é péssimo, se estamos na aula em que é a pior disciplina do ano é horrível, é rápido demais quando temos 5 minutos para acabar um teste e faltam 2 perguntas onde temos que escrever um testamento, é um autêntico relâmpago quando tememos o que nos espera, é uma turtura quando sofremos e só queremos que tudo acabe, é curto quando estamos naquela festa que está a correr tão bem, é uma eternidade para os que amam? será? Depende do ponto de vista.

21 outubro, 2010

Razão vs Vontade

"O homem só se torna humano na altura de decidir."

Desde que te conheces por gente e todos te metem na categoria de "Homem", não há dia que passe que esperem mais e mais de ti. Por muito que vás mostrando, por muitas capacidades que mostres, uma delas, se não a mais importante é aquela se muitas das vezes não te deixam fazer uso dela, todos os dias uma ou várias novas decisões a tomar e muitas vezes tomam-nas por ti por acharem que não tens capacidades para o fazeres sozinho ou porque têm medo que batas com a cabeça no chão e trepes paredes em consequência de uma má decisão. Se cresceste, se te consideram homem, se a maior capacidade que podes ter é decidir, porquê não te hão-de deixar pensar e decidir por ti? Se a cabeça é tua e as forças também, podes muito bem acabar por a partir no chão de tantas vezes errares, e cair de tantas vezes perderes as forças a meio da tua subida. Tantas vezes hás-de cair que hás-de aprender ou não? Acho que já cheguei a altura em que entrei na categoria de gente, em que posso decidir sozinha, em que as consequências dos meus actos vão acabar por ter uma força que as vai atrair directamente para mim, já cheguei finalmente há altura de decidir, de cair, bater com a cabeça, trepar paredes, explorar segundo os meus métodos que têm tanta lógica como a lógica das palavras, ou seja, não têm lógica nenhuma em especial, sem ser o que realmente me apetece naquele preciso momento em que tenho de decidir...ai razão...ai vontade, mas que guerra enorme constante entre ambas, batalhas e batalhas entre elas onde a razão perde sempre forças para lutar e se deixa vencer pela vontade. Sim, ultimamente tornou-se um pequeno hábito, contigo do meu lado perco a capacidade de raciocínio, só pode ser por me sentir tão bem, os meus pequenos neurónios entram em curto circuito e apagam-se literalmente, só a vontade me comanda, incrível como está se torna tão mais forte que eu, nos momentos em que devia ser precisamente o contrário, onde esta devia adormecer por instantes e deixar os meus pequenos neurónio saltarem que nem pipocas acabadas de fazer , de modo a funcionarem de maneira correcta - de preferência - de maneira a me deixarem tomar as decisões mais certas e que me fizessem mais feliz. Começo a achar que raciocínio e felicidade são palavras que nunca andaram de mão dada, se pensas muito acabas por perder aquilo que tanto querias porque tanto hás-de pensar que quando chegar a altura já passou. Por outro lado, deixas de pensar, deixas-te levar pelo momento, és feliz sim, mas a incerteza de saber se foi só ali naquele instante ou será amanhã e depois, vai sempre permanecer. Enfim, "a vida são dois dias, vive e deixa viver, aproveita cada minuto como se fosse o último, não deixes para amanhã o que podes fazer hoje", começo a gostar de pequenas expressões como estas, começo a agir de acordo com elas. Deixei que a minha vontade ganhasse à minha razão? Pouco importa, a felicidade é que conta. Será sempre assim? Ninguém sabe. Só quero uma coisa, ficar do teu lado, não para sempre, mas enquanto a vida nos unir. És do pouco que tenho, o muito que não quero perder. Um dia fico tão habituada há tua presença que nunca mais te deixo ir.

" ! - Só tu me fazes sorrir assim.
  !! - Olha quem fala.
  ! - Sim? Estavas feliz?
  !! - Sim."

Ps: Eu também, acredita . Se tu sorris, eu sorrio (L')

12 outubro, 2010

Quem é quem?

Aparentemente o nome de mais um jogo para crianças, que acaba por ser jogado por miúdos e graúdos. Aparentemente mais uma grande questão, no meio deste mundo onde existe cada vez mais gente e cada vez menos pessoas, onde todos olham mas ninguém vê. Aparentemente será uma grande dúvida , tão sem sentido como provavelmente o que irei escrever aseguir. Porquê? Porque neste momento há tudo menos um rumo com sentido neste caminho que tenho para percorrer. Quem és tu? Quem sou eu? Será que eu sou tu, ou tu és eu? Sou eu que sou o que tu és ou tu és o que eu sou? Sou eu que não te percebo ou tu que não me deixas perceber-te? Ou serei eu tão complicada que não consegues tu perceber o que tenho para te dizer? Será que és tu que fazes o que eu não gosto ou serei só eu que não gosto do que tu fazes? Será que tu mudaste ou eu é que nunca te conheci, ou vice versa? Meu deus, quem és tu afinal? quem sou eu? Já te conheci muito bem , já soube exactamente o que estavas a pensar através do teu olhar , já percebi tudo o que me disses-te mesmo sem dizeres uma palavra , já mudaste vezes e vezes sem conta mas no fundo continuaste sempre a mesma coisa. Agora? Não te conheço e dispenso seriamente voltar a conhecer. Eu? sou eu, apenas isso, no fundo aconteceu o mesmo que a ti , mudei mudei e voltei a mudar mas no fundo continuei sempre a mesma. Complicada? Talvez, mas não tanto como a tua falta de vontade para me perceber. Bem, quanto ao que tu fazes que eu não gosto e que tu gostas mas não é bom para ti nem para mim, e muito menos foi bom para nós...enfim, não posso fazer mais nada. Sim, já fiz muito, já dei muito embora nunca o tenhas percebido e não me tenhas deixado dar mais, me tenhas expulsado e fechado a porta de uma vez para sempre, desculpa mas não passo paredes. Ficamos por aqui ! Quem és tu? Quem sou eu ? Não sei, sinceramente não sei, há uma mistura de ambos em cada um de nós, embora este último não exista há bastante tempo. Uma coisa é certa, nem eu sou tu e muito menos tu és eu ! Mesmo sem saber quem tu és, sem tu saberes quem sou eu, um dia vais perceber porque é que sempre te dei tanto sem pedir nada em troca.

08 outubro, 2010

Autismo

Ajuda-nos a Ajudar !

video

Produto Final de Área de Projecto , realizado por :


  • Ana Alves
  • Andreia Cardoso
  • Andreia Vieira
  • Inês Santinha
  • Raúl Oliveira

PS: Divulgar , nunca é demais !

07 outubro, 2010

Castelos no ar


"Se voares, voa mais alto ." 
Um dia fazes de conta que o mundo é teu, sentas-te há janela e eliminas tudo o que vês, estares ali ou não torna-se o mesmo, estás ali mas estás longe, estás a imaginar tudo o que na realidade desejavas ver todos os dias da janela onde neste momento te encontras. Fazes os teus sonhos voarem mais alto que tu mesmo, voam tão alto que dás por ti num mundo completamente imaginário, naquele castelo que sempre esperas-te ter, onde pensavas que todos os teus sonhos podiam tornar-se reais, sonhas-te alto e sentiste-te livre, queres descer a terra mas não consegues. O teu mundo imaginário torna-se cada vez mais complexo, já não tens em vista apenas o teu castelo, estás a ver as ruas cheias, as pessoas felizes onde ninguém tem que esforçar-se para fazer um sorriso, o bem superou o mal, toda a gente passou a ver em vez de olhar, ninguém passa por ninguém como se o outro fosse transparente , no teu mundo a saudade não existe, tudo o que cada um realiza é tão natural como o próprio respirar,todos dão valor aquelas pequenas coisas da vida e têm o que realmente precisam para ser felizes, a igualdade reina acima de qualquer outra coisa, o "eu" ficou esquecido e o "nós" permanece a toda a hora . A cada momento que passa queres que o teu sonho se torne mais real. Estás a sonhar cada vez mais alto, já não dás mais largas à tua imaginação, da janela do teu quarto ao acordar, não vês as árvores do jardim da frente mas sim as nuvens que te rodeiam em tal altitude. Até que chega a altura que ninguém gosta, dá-se um click e a realidade cai sobre os nossos pés, mais uma vez não passava de imaginação, dás por ti a pensar e chegas a conclusão que secalhar da mesma maneira que tu, muitas e muitas pessoas sonham dias e noites com a mesma coisa. Ninguém faz castelos no ar, os castelos que fazes no chão são de areia e vão e voltam com as ondas do mar.

03 outubro, 2010

Super-Herói

"O heroísmo começa com uma vitória sobre ti próprio." (Leonid S. S.)
 Quem foi que disse que os heróis não passam de ficção? Quem foi que disse que era preciso ter super poderes, uma capa, um fato que marque diferença entre todos os outros, um símbolo que te identifique? Eu, Tu, Ele, Nós...todos podemos ter um herói,  todos podemos ser um deles cada uma à sua maneira. És um herói com gestos, palavras, acções que faças de livre vontade, não apenas quando estás feliz e tudo é perfeito, mas também quando o fazes quando tens o mundo a ruir aos teus pés, superando-te a ti mesmo, és um herói cada vez que te esqueces de pensar em ti para te lembrar de pensar nos outros, cada vez que consegues dar a mão a alguém que realmente precisa de ti mesmo quando esse alguém quer recusar-se a agarrá-la , cada vez que arrancas um sorriso a alguém quando na realidade só te apetece chorar, quando para ajudares outro a superar os seus problemas acabas por superar os teus sem dares conta disso até que alguém te diz : faz por ti, tudo aquilo que fizes-te por mim. É assim, com pequenos grandes gestos que nascem os pequenos grandes heróis, aqueles que não vivem na ficção dentro das páginas de um livro ou de uma caixa que se liga e desliga quando assim alguém o decidir, que não aparecem nas histórias das crianças nem vivem durante tempos sem fim passando as suas histórias de geração em geração, chegando mesmo a servir para contar às crianças que não conseguem dormir numa noite de trovoada. É através de laços que se criam, que nascem estes super-heróis, muitas vezes estes laços não se sabem explicar,mas sentem-se e sentem-se de tal maneira que duram não para sempre, mas sim enquanto a vida unir os responsáveis por tal criação. Mas cuidado, os Super-heróis não estão escondidos atrás de uma esquina, nem saem debaixo de uma pedra se por acaso acabar-mos a dar um pontapé em alguma, não caem do céu como as chuvas de inverno, não tocam à campainha e pedem autorização para entrar...aparecem quando menos se espera e não duram para sempre.

01 outubro, 2010

Pelo caminho ...

Um paço para a frente, cem para trás. Como é que podemos seguir em  frente , se nos cortam os apoios que temos para andar ?! Já não são pedras no caminho ou simplesmente obstáculos na vida, são buracos onde cais e ficas eternamente à espera que alguém te lance a escada que te vai fazer reerguer, que vai  fazer-te pisar de novo solo firme, que vai mostrar-te de novo a luz do dia, a luz ao fundo do túnel. Fico à espera da minha escada.